Google+ Followers

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

COMO SE DE AMOR SE TRATASSE




Abri-te a porta do meu corpo sequioso
E da minha alma encantada
Abri-te a porta do coração oculto
Como se de lógica se tratasse

Abri-te a porta do meu corpo erróneo
Penetraste a minha pele ardente
Nas chamas ocultas do desejo
Como se de amor se tratasse

Lançaste sementes de rosas bravas
Ardentes de explosão e êxtase
Como se da tua casa se tratasse

Possuíste e renegaste a minha essência
No efémero lado sombrio
Das tuas entranhas ardentes
E assim te deixei possuir-me
Como se de amor se tratasse

1 comentário: