Google+ Followers

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

REENCONTRO

Reencontro-te também nesta vida
Amor de anteriores vidas
De desencantamentos de vidas desprovidas
Renasço em busca de te amar

Porque na química da tua pele me descubro
Qual amor sobrevivente das épocas
Emergente nas neblinas dos tempos
Reencontro-te no sublime agora

Amo-te livre de condições
Liberto-te para me amares assim
E reencontrar-nos-emos
 num tempo atemporal de amor

Sem comentários:

Enviar um comentário