Google+ Followers

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

ASSIM ELE CHEGAVA



Assim ele chegava
Há hora de sempre chegar
Com cheiro de mar e sal
Desejoso de me amar

Um dia ele chegava
Trazendo a brisa do mar
Com um rasto de luz lunar
O meu mundo iluminava

Mas um dia ele chegou
Sequioso de puro amor
E me amou como nunca amou
Num derradeiro desejo de amar

Assim num dia  partiu
Levando o cheiro de mar
E eu de tanto amar
Perdi-me no túmulo do mar


1 comentário:

  1. Quando está, quando chega, somos tão grandes e tão pequenos ao mesmo tempo, mas quando parte, a solidão surge maior do que qualquer coisa existente no mundo. Gostei muito do poema.

    ResponderEliminar