Google+ Followers

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

PROCURO-TE

Ilha da Madeira

Procurei-te nas tabernas da vida
 e nos barcos do porto.
Procurei-te no rosto dos homens
Entre a multidão das multidões.
Procurei-te nas orgias da noite
E nos Carnavais da vida.
E procuro-te no meio das tempestades
E nos confins do tempo
Porque sinto ser pouco este viver
Procuro-te na neblina de um qualquer amanhecer
Nas estradas da existência e na eternidade do tempo
Porque fazes parte dessa outra parte de mim
Procuro-te como se sempre te encontrasse

Sem comentários:

Enviar um comentário