Google+ Followers

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Procuro-te



Procuro-te na neblina de um qualquer amanhecer
Nas tabernas da vida,  e nos barcos do porto.

Procuro-te no rosto dos homens
Entre a multidão das multidões.
Procuro-te nas orgias da noite
E nos Carnavais da vida.

Porque fazes parte da parte amputada de mim
Procuro-te…

21 comentários:

  1. Boa tarde.

    Lindo!!
    Muitos procuram... e acham!

    Um grande abraço.

    ResponderEliminar
  2. Olá Rita,
    que belo poema..."procuro-te na mltidão das multidões"!
    Bjs,

    ResponderEliminar
  3. No fundo procuramos todos o mesmo, aquela ligação que esbate o irreal com outro ser humano, um ser que nos completa. Por vezes encontramos logo ao virar da esquina, outras vezes não.
    Gostei da re-edição.

    ResponderEliminar
  4. A vida é uma procura e ser feliz é um acontecimento.

    ResponderEliminar
  5. na procura das palavras simples se faz um bom poema.

    muito belo.

    um beij

    ResponderEliminar
  6. Maravilhoso poema, Rita. Fiquei emocionada com o que me tocou. Lindo. Um beijinho e obrigada pela sua visita. Boa noite.

    ResponderEliminar
  7. E hoje venho agradecer pela visita aos meus Instântaneos!
    Beijos e uma boa semana!

    ResponderEliminar
  8. É sempre bom procurarmos. E a sua poesia é muito boa.
    Beijinhos amiga.
    Irene

    ResponderEliminar
  9. Olá Rita,

    Passei para conhecer seu blog, me encantei com seus escritos...por aqui fico!

    Saudações

    ResponderEliminar
  10. Oi Rita!
    Gostei do poema!
    Interpretações várias, conforme o estado de alma.
    O ser humano e a sua instabilidade.
    parabéns
    Até breve
    Herminia

    ResponderEliminar
  11. Andamos numa constante procura e é muito bom isso quando essa busca se faz para encher a nossa alma de essência, quando essa procura é por aquelas pequenas coisas ou por aquelas pessoas que nos fazem sentir bem e que nos enriquecem E é nos rostos dos homens, no seu olhar, no seu sorriso que procuramos aquilo que realmente nos faz falta que são os afetos. Correr atrás de futilidades...bem...para mim já não serve; o tempo voa e já não me resta muito para procurar mediocridades; quero sim procurar e encontrar a cada dia a vida verdadeira; tento isso todos os dias. Lindo e profundo este teu " Procuro-te" Gostei muito, Rita. Um beijinho e espero sinceramente que encontres sempre quem procuras.
    Emília

    ResponderEliminar
  12. PROCURO-TE. O SENTIMENTO A FLOR DA PELE. BELO. BELA. BELÍSSIMA. GRANDE ABRAÇO DO LEONAM.

    ResponderEliminar
  13. OBRIGADO QUERIDA POR VISITAR-ME E DEIXAR VOSSAS PALAVRAS EM MEU BLOG, ESTOU MUITO GRATO POR VOSSA ATENÇÃO PARA COMIGO, CIENTE QUE VIREI OUTRAS VEZES VISITAR-TE ....CALOROSO ABRAÇO DE AMIGO VIRTUAL..


    BRUNO

    ResponderEliminar
  14. Há tanto tempo que não a vejo em belas palavras. A ausência daqui, não é válida. Estou de volta, a observar o tempo bom estampado em versos. Gosto daqui, assim decreto.

    ResponderEliminar
  15. Lindo
    Na procura o encontrar e vencer

    beijos

    ResponderEliminar
  16. Rita, Querida

    É na busca, na procura, que encontramos e realizamos os Sonhos.
    Lindo.

    Beijos

    SOL
    http://acordarsonhando.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  17. Algumas das coisas que perdemos, andamos a procurá-las a vida inteira.
    Umas, encontrámo-las. Outras, acabam por morrer na nossa memória.
    Belo poema, gostei imenso.
    Rita, minha querida amiga, tem um bom resto de domingo e uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  18. "porque fazes parte da parte amputada de mim": ufa!!!
    mesmo sabendo que essa parte amputada é a que tantas vezes está mais próximo de ser inteira...

    demanda de luzes claras sobre o calcário do corpo, subindo e descendo os seus degraus em contínua deambulação. chegar ou não chegar é mera circunstância da caminhada.

    beijinho, rita!

    ResponderEliminar
  19. Adoro a inquietude! Simples assim.

    Me identifiquei.

    ResponderEliminar