Google+ Followers

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Noite

https://www.facebook.com/JCarvalhoPhotography



E foi no silêncio daquela noite prateada,
Quando o sono se fez distante
Que me embrenhei nos mistérios da noite
E calei as vozes da minha mente

Ouvia o respirar das árvores num leve sono,
O murmúrio do mar à luz das estrelas
Sombras se movimentando num viver tranquilo.
E sentia as vidas despidas de máscaras

E foi nesse murmúrio com o silêncio
Que fechei as cortinas do palco
E com a mente deserta mergulhei
Na essência luminosamente escura

15 comentários:

  1. Esse toque poético nos faz imaginar... Bonito e singelo. Seu blog é lindo!

    [link=analuizacabrall.blogspot.com/]My Little World[/link]

    ResponderEliminar
  2. A noite sempre desperta qualquer coisa, para os sensíveis como nós.
    Beijo

    ResponderEliminar
  3. Apaziguadores são seus versos! Transmitem calma em demasia!

    Parabéns!

    ResponderEliminar
  4. O palco em cortinas fechadas,
    nos trás a ideia solitária
    do enxergar-se no escuro.

    Bom demais!

    ResponderEliminar
  5. Há pessoas com um poema transformam uma noite simples em uma noite maravilhosa !

    Beijo.

    ResponderEliminar
  6. Gostei muito de a ler. Poderá fazer o favor de me deixar segui-la? Um beijinho.

    ResponderEliminar
  7. A noite quando chega nos revela tantas e tantas coisas...beijos de bom final de semana.

    ResponderEliminar
  8. há gestos, olhares, passos, decisões que arranham na profundidade de todas as noites, como se a cortina do palco fosse apenas um adereço entre a verdade e a mais refinada das fantasias.

    beijinho!

    ResponderEliminar
  9. e por vezes a noite leva-nos a agir assim.

    um poema muito bom.

    um bom fim de semana.

    Beij

    ResponderEliminar
  10. Uma reflexão ao anoitecer.
    Momentos nossos relacionando-nos com a natureza onde nos misturamos.
    Mais um poema cheio de mistério e de vida.

    ResponderEliminar
  11. Curiosa com o nome do blogue entrei. Realmente à procura de lucidez andamos todos nós. Ou deviamos andar. Só que poucos teen coragem de o afirmar.
    Gostei do poema.
    Um abraço e bom Domingo

    ResponderEliminar
  12. Há noites com muita luz...
    Excelente poema, adorei as tuas palavras.
    Rita, querida amiga, tem um bom resto de domingo e uma boa semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  13. Às vezes no silêncio da noite escura, encontramos a luz dentro de nós... A paz!

    ResponderEliminar
  14. Amada vou postar hoje seu poema e hoje ainda vou te enviar um email.
    Tive alguns problemas aqui por email te explico amada amiga.
    Obrigada pela atenção carinho e amizade .
    Beijos com todo carinho.
    Evanir>.

    ResponderEliminar
  15. Doença da inquietude
    Indisciplina do sono
    Ansiedade e perturbação
    Silêncio ensurdecedor
    Prisão intervalar psicótica
    Ruídos perturbadores
    Luzes invasoras de pálpebras
    Estado de ansiedade e alerta
    Mil ideias sem fundamentos
    Prender a respiração
    Contar ácaros nas paredes
    Imaginar em que vamos sonhar
    Dores, nictúria, fadiga, hipoxemias
    Sudação, onirismo, polissonografia
    Síndrome as pernas inquietas
    Olheiras, tremedeira corporal
    Prolongamento dos olhos abertos

    http://diego-nobre.blogspot.com/2011/05/lucidez-do-sono.html

    ResponderEliminar