Google+ Followers

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

A última hora da luz do sol








E de repente, o calor tornou-se morno
As árvores vestiram de amarelo
E as florestas
 lentamente descamparam
Sentindo a última hora da luz do sol

De repente,
 o homem sentiu o frio morno
Da progressiva ausência da luz
Qual morte trajada de frágil claridade
Na última hora da luz do sol

E assim
 vislumbrou no ténue horizonte
o espectro do último arco-íris
 No lusco-fusco do tempo

 

8 comentários:

  1. Prefiro ver o nascer do Sol.
    Trás vida e encanto e a cada hora se mostra mais poderoso.

    O entardecer tem o seu encanto. A luz vai amarelecendo a paisagem e lentamente nos sepulta nas sombras....

    ResponderEliminar
  2. Um gosto ter encontrado o seu blogue. Gosto muito de poesia
    até tenho um blogue http://sinfoniaesol.wordpress.com
    onde insiro bastante poesia que me é cedida.Se puder dar
    uma olhadela.
    Voltarei sempre que possa.
    Beijinho
    Irene

    ResponderEliminar
  3. E assim o sol se vai...e assim as árvores se despedem das suas folhas...e assim o homem gela...e assim de despe de calor, daquele calor que lhe dá a humanidade; e sem esse calor...sem esse aconchego que nos falta a todo nos vamos despindo daquele verde cor da esperança, esperança de uma sociedade mais iluminada, mais fraterna. O sol se vai e com ele vai a luz, essa luz de que tanto precisamos. Sentimos tanto a falta dessa luz, amiga!!!! Parabéns pela bela poesia. Um beijinho e que os teus dias sejam sempre iluminados
    Emília

    ResponderEliminar
  4. E assim o sol se vai...e assim as árvores se despedem das suas folhas...e assim o homem gela...e assim de despe de calor, daquele calor que lhe dá a humanidade; e sem esse calor...sem esse aconchego que nos falta a todo nos vamos despindo daquele verde cor da esperança, esperança de uma sociedade mais iluminada, mais fraterna. O sol se vai e com ele vai a luz, essa luz de que tanto precisamos. Sentimos tanto a falta dessa luz, amiga!!!! Parabéns pela bela poesia. Um beijinho e que os teus dias sejam sempre iluminados
    Emília

    ResponderEliminar
  5. É quando não é tarde e não é cedo,quando já não é dia e ainda não é noite, é no crepúsculo do dia e da noite, quando o Sol lá no horizonte nos convida a meditar.

    beijo

    ResponderEliminar
  6. Adorei seu blog! Muito bom!
    Ótimo final de semana!

    ResponderEliminar
  7. Sempre assim só se dar o valor quando o fim se aproxima.

    ResponderEliminar