Google+ Followers

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Morrer para viver

(Foto Internet)


Morres nos minutos efémeros da vida
E nessa morte renasces para viver
Nos batimentos de um coração
Escondido na pele de um corpo

Procuras a alma na mente estruturada
E no teu ego escondes a essência do teu ser
Na tua situação de vida escondes a vida
E nas ilusões de um mundo virtual escondes o amor

E assim ocultas o amor no  medo.
E na surdez da tua mente
Vais morrendo no momento
Para viver na eternidade do tempo

1 comentário:

  1. Eu já tinha andado por aqui, mas acho que não prestei a devida atenção a este poema.
    Tão lindo que está, que palavras mais sábias, gosto em particular da segunda estrofe, acho que somos assim, todos, vivemos em plena ilusão a vida inteira, mas talvez no nosso íntimo tenhamos noção disso, que a vida é muito mais do que aquilo que conseguimos mostrar ao mundo.

    ResponderEliminar