Google+ Followers

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

A ti pai, que farias anos hoje.






Pai, o tempo nos aproxima
No sonho que me falas sem voz,
E não falarei das palavras sem som
Sentirei apenas a tua luz na noite

E esse acetinado crepúsculo onde te vejo sorrir
Vindo de um eterno tempo que um dia nos unirá
Mistura-te na memória de uma vida
Onde agora a luz te molda a sombra

E semeio rosas no caminho que te leva
Onde aguardo o retorno das aves que te cantam.

Amo-te

(Reedição)

10 comentários:

  1. Uma homenagem lindíssima, Rita.

    Deixo um abraço

    Sónia

    ResponderEliminar
  2. haverá um retorno, sim

    ao seu pai, recordando o meu


    um abraço, Rita

    ResponderEliminar
  3. Ausências que nunca o são, verdadeiramente.

    Um beijo

    ResponderEliminar
  4. Olá,
    seu coração com enorme sentimento de amor é lindo, homenagem muito bela ao seu pai sempre presente em si.
    Abraço solidário.

    ag

    ResponderEliminar
  5. Um poema cheio de amor e ternura.
    Comoveste-me.
    Rita, minha querida amiga, tem um bom resto de semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  6. Querida amiga

    Há alguns dias postei no meu blog,
    www.semvoceeunaoseria.blogspot.com.br
    um texto sobre meu pai,
    e sua saudade.
    Assim compreendo cada letra
    que escrevestes...

    Que a alegria dance
    em tua vida apaixonadamente.

    ResponderEliminar