Google+ Followers

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Escrevo (ou não) o amor

Fotografia de https://www.facebook.com/JCarvalhoPhotography

Quero escrever amor, romântico ou não, incondicional ou não

Escrevo algo parecido com poesia, onde a emoção pinta as palavras e  a maresia perfuma o papel deixando-me a pele com sabor a sal e a alma inquieta vagueando nas marés.

As palavras insistem em sair incertas, neste amor que transcende o carnal, inspirado no manto de sol que de dourado cobre a pele.

E ainda assim, o canto dos lobos desperta-me para uma dúbia existência terrena, onde a vida escancarada me retorna o eco da montanha e eu tento, outra e outra vez, escrever o amor.

Podia escrever assim, simples, um pedaço de silêncio.

15 comentários:

  1. cobre-nos a pele também o silêncio e o canto dos lobos

    e raro esse amor


    um abraço, Rita

    ResponderEliminar
  2. Bello escrito , palabras que se fugan del alma buscando un lugar para la existencia del amor plasmada en poesía o dejarlas en el silencio mismo donde yace el alma
    Un abrazo

    ResponderEliminar
  3. e eu tento, outra e outra vez, escrever o amor.
    --------
    O AMOR, a subjetividade da palavra. Talvez sonhos, ilusões !...
    ---
    Tudo de bom por aí.
    MANUEL

    ResponderEliminar
  4. e por vezes cobre-nos um silêncio.
    e mesmo em silêncio escreve sempre, sempre e que seja o amor.
    muito belo!

    :)

    ResponderEliminar
  5. Muito belo, o texto. Com silêncios, com poesia, e com o canto dos lobos. Um poema de amor....
    Beijo.

    ResponderEliminar
  6. Cheguei de férias, (há quase duas semanas!) e tenho andado, aos poucos, a agradecer as visitas recebidas na minha ausência.
    Para não ser injusta com ninguém... faço-o seguindo as datas em que os comentários foram feitos lá na minha «CASA».
    E não tem sido tão rápido quanto eu gostaria... mas tanto quanto é possível.
    Amanhã (14/10) publico novo post e ainda não agradeci as visitas todas... Que vergonha!!! :)

    As palavras até podem ser incertas... mas estão repletas de amor!
    Um belo texto poético, onde a tentativa de escrever "amor" é muito bem conseguida...

    Uma óptima semana.
    Beijinhos
    Mariazita

    ResponderEliminar
  7. Escreve, sim... e muito bem! Também no silêncio, se escreve o amor. Belo texto, boa semana.

    ResponderEliminar
  8. Que lindo...Um pedaço de silêncio, pode conter muitos sentimentos e emoções.
    Beijos, Rita!

    ResponderEliminar
  9. Tentas e consegues sempre.
    E o que escreveste é poesia, não no formato, mas na forma como te exprimes.
    Gostei muito, magnífico.
    Um beijo, querida amiga Rita.

    ResponderEliminar
  10. É importante que escrevamos o amor, seja ele " romantico ou não, incondicional ou não " mas nem sempre conseguimos, porque a mão treme, o coração sangra e as lágrimas caem em cima do papel. Mas " as palavras insistem em saír " assim mesmo, porque a nossa alma anseia por amor seja ele de que forma for. Também anseia por um " pedaço de silêncio " onde se possa " inspirar" e assim deixar que as palavras finalmente se alinhem e daí saia um belo poema. Muito lindo, Rita e não desistas de escrever o amor, pois ele aquieta a alma. Um beijinho e obrigada pelo belo momento
    Emília

    ResponderEliminar
  11. Boa tarde, fazer a caneta deslizar sobre o papel, registar o amor sentido em silencio, é como, descarregar o sentimento (amor) absorvido que transborda pelo coração.
    AG
    http://momentosagomes-ag.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  12. Muito belo o seu texto, Rita.
    Poesia!

    Bom domingo.
    Beijo

    ResponderEliminar
  13. Este texto é poesia.
    E da boa.
    Parabéns pelo talento poético que as tuas palavras revelam.
    Um beijo, querida amiga Rita.

    ResponderEliminar