Google+ Followers

domingo, 5 de maio de 2013

Homenagem a ti, mãe





 
Eu podia morar nas asas dos falcões

Viver o êxtase das aves solitárias

Rumo ao inevitável caminho do céu

Onde te encontraria, mãe



Eu podia viver o sol purpura entrando na noite

E sentir o brando silêncio trazido pela brisa

No sono da morte deliciosamente misteriosa

Onde te encantaste um dia



Quem sabe ouvir os grilos entoando a melodia 

Que me cantaste num outro tempo

E pedir ao vento que te devolva

Desse secreto e constante sono



Mas, vou viver a tua morte, mãe

E conquistar a tua paz sem chorar a noite

(Reedição)




15 comentários:

  1. Bom dia Ritinha, e que lindo
    esse poema cheio de amor
    As vezes triste, mas é assim mesmo
    Mãe será sempre viva dentro de nós
    Abraços e parabéns pela bela homenagem
    Rita!!!!!

    ResponderEliminar
  2. Bonito carinho Rita...

    Beijinho
    (qual és tu?:))))

    ResponderEliminar
  3. Obrigado. Sou a que está no colo :)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. do encantatório e misterioso sono,

    da mãe


    tão linda a foto!

    um abraço a todas

    ResponderEliminar
  5. Adoro estas fotos antigas que guardam memórias de outros tempos...


    Um lindo poema...

    Um beijinho e vou seguir este espaço! :)

    ResponderEliminar
  6. Não há palavras para cantar a nossa mãe nem a separação que o tempo lhe deu.
    Um poema sentido e ao mesmo tempo vivido no dia a dia das nossas vidas.

    Um beijo a todas as MÃes

    ResponderEliminar
  7. uma homenagem bonita.
    gostei muito da foto.
    uma boa semana.
    um beijo

    ResponderEliminar
  8. Lindo o que escreve a sua mãe
    e ela vai sentir que pensa nela
    e nesse breve instante
    volta e fica,
    depois parte...

    Abraço,

    Maria Luísa

    ResponderEliminar
  9. O poema é magnífico.
    Nota-se o amor com que o fizeste.
    Gostas de colinho... ein...?
    Um beijo, querida amiga Rita.

    ResponderEliminar
  10. Querida amiga

    Cada palavra
    que inspira
    nossa vida,
    acorda novos
    sentidos
    em nossa caminhada.
    Principalmente
    as que falam
    de mãe,
    que mesmo quando partem,
    continuam tão vivas
    em nossas vidas.

    Viver é acima de tudo,
    a arte de abraçar os sonhos.

    ResponderEliminar
  11. Rita, emocionei-me muito! Lindíssimo, bjs

    ResponderEliminar
  12. Hoje vim agradecer à você que está do outro lado da telinha, por todas as vezes que carinhosamente esteve no meu cantinho e por todos os comentários delicados que me deixou. Também vim te desejar uma sexta-feira cheia de amor e felicidade.

    Beijos
    Ani

    ResponderEliminar
  13. Todo trabalho de reedição merece aplausos.

    ResponderEliminar
  14. Rita! Você é tanto quanto o seu próprio perfil (Acerca de mim... Lindo!); tanto quanto a sua Unicidade em... À Procura da Lucidez... Tanto quanto em termos do desdrobamento dos teus Versos... Este imenso Universo, suigêneris a ti... Marca Registrada dotada de "uma Poesia" indiscritível, que por incrível pareça, é até difícil elogiar o que, indiscutivelmente já!O!É!Elogiável!
    Ora Rita! Com toda sinceridade, sejamos francos, "poucos" (pois são muitos); escrevem tão igual a ti.
    Retornarei com mais tempo para observar teus versos, deixo um abraço! Dos, "Anônimos da Poesia e da Arte".

    ResponderEliminar