quarta-feira, 19 de junho de 2019

Eu comigo


Foste tu a luz, naquela que seria a última caminhada pelo mundo. Como se de repente, toda esta parafernália de emoções se esvoaçasse no universo e se fizesse a bonança depois da tempestade e se invadisse de calma a tormenta.
Despi-me de trapos e mágoas, juntei cacos e migalhas, caminhei passo a passo sentindo a virgindade da terra e a nudez do tempo. Finalmente eu comigo.
Não fosse essa luz, com a particularidade de ser a tua, e seria eu sem mim, mergulhada na imensidão de nada.

3 comentários:

  1. É preciso ousar para ter (boas) memórias

    ResponderEliminar
  2. Um texto excelente! Introspectivo e cheio de reflexão.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  3. Ás vezes estamos tão ocupados, que deixamos os momentos passarem. A beleza dos dias, assim como o sol que brilha e que fica escondido atrás das nuvens do nosso olhar.

    ResponderEliminar