Google+ Followers

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Vivi


Não sei se de todas as lições vividas
aprendi a linguagem secreta da natureza
A intimidade dos homems.
Não sei se aprendi na luz e nas sombras
Ou se as vivi numa transição entre a verdade e a mentira.
 
Não sei se aprendi nos rituais da consciência
o elixir da vida eterna
Ou se inventei a pedra filosofal

Compus na comunhão com os homens, o poema
Que fez cair lentamente a tarde

(Reedição)

20 comentários:


  1. Na minha visão, acho que o mais importante é quando fazemos, lutamos, conquistamos, e fazemos as escolhas que sempre queremos para nossas vidas. Independente do que digam, o mais importante é dormir consciente de que a vida valeu a pena e que cada decisão feita foi por vontade própria e em busca da tal felicidade, que é particular. BeijooO
    No mais, acho que é isso.

    ResponderEliminar
  2. também não sei

    mas é isso a vida


    um abraço, Rita

    ResponderEliminar
  3. numa transição entre a verdade e a mentira.
    ---------
    A verdade pode ser mentira, e a mentira pode ser verdade!

    Felicidades
    MANUEL

    ResponderEliminar
  4. As coisas que nunca sabemos...
    A vida vai-nos ensinando mas nem sempre sabemos ver, ouvir e rectificar para melhor.

    ResponderEliminar
  5. Um poema excelente, Rita! Nada saber mas compor "na comunhão com os homens, o poema
    que fez cair lentamente a tarde" Saber mais o quê?
    Um bom Natal e um beijo.

    ResponderEliminar
  6. Uma alquimia de versos , compondo em cada frase uma belíssima revelação.

    Um beijo e um Feliz Natal !

    ResponderEliminar
  7. Boa tarde, nunca se sabe com certeza o que sabe, nunca se atinge o saber total, sabe-se sim, que o que escreveu é perfeito.
    AG

    ResponderEliminar
  8. Também não sei...
    Mas sei que o teu poema é excelente e teve o condão de me fazer pensar em muitas coisas.
    Tem um bom resto de semana, querida amiga Rita.
    E um FELIZ NATAL.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  9. e só vivendo se aprende e desaprende...

    muito belo os teus sentires.

    obrigada e um beijo

    :)

    ResponderEliminar
  10. É só para lhe desejar um Natal feliz.
    Beijinho.

    ResponderEliminar
  11. Olá, Rita Freitas

    Vamos aprendendo a cada passo.
    E os mistérios da vida, nem todos
    conseguiremos desvendá-los.
    Existirão sempre a incerteza e a
    dúvida, mas também momentos
    mágicos.

    Venho do blogue da amiga Emília Pinto,
    dizer-lhe um "Olá" e segui-la.

    Abraço

    Olinda


    ResponderEliminar
  12. A experiência traz-nos sabedoria.
    A verdade, tal como a mentira, é muito subjectiva...
    Quem sabe onde está uma e outra?

    Desejo
    UM NATAL MUITO FELIZ, COM PAZ E HARMONIA, E COM MUITO AMOR NO CORAÇÃO.

    Beijinhos
    Mariazita

    ResponderEliminar
  13. Gostei de reler o teu poema.
    Porque ele é excelente.
    Um Natal Muito Feliz, para ti e para a tua família.
    Um beijo, querida amiga Rita.

    ResponderEliminar
  14. Boa noite Rita,
    Quanto mais sabemos, mais sentimos que não sabemos tudo, que fica faltando sempre algo mais. Isto é sabedoria.

    Aproveito para lhe deixar meu desejo de que passe umas festas felizes junto dos que quer bem.
    bjo amg

    ResponderEliminar
  15. Muito bonito o poema Rita
    _as dúvidas sempre nos acompanharão .
    Passando para agradecer seu carinho retribuir os votos de Boas Festas e desejar porção dobrada a ti , extensivos ao Novo Ano que já chega.
    grande abraço .

    ResponderEliminar
  16. Boa noite, Rita

    Venho desejar-lhe um Bom Natal e Ano Novo Próspero.

    Bj

    Olinda

    ResponderEliminar
  17. O poema é maravilhoso, Rita!

    Feliz Natal!

    ResponderEliminar