Google+ Followers

domingo, 20 de outubro de 2013

Silêncio



Eu não escrevo o amor
Sinto-o no vento cálido do oceano
Quando a noite desce a encosta em busca do silêncio
E nesse estar só, sem os ruídos do mundo
Canto a música do universo

Ganho essa liberdade de libertar-me
Quando a humanidade dorme esse sono universal


sexta-feira, 4 de outubro de 2013

A NEBLINA






Talvez se enfrentar o medo do desconhecido,
 consiga atravessar a neblina
 aquela que me separa da felicidade
 e me mostra essa embriaguez que me turva a visão.

Daqui,
 de onde estou,
 não tenho certeza de nada
porque os meus olhos não vêem para além da bruma

E caminho nessa distância entre o medo e eu.