Google+ Followers

terça-feira, 4 de abril de 2017

Desencontros


Há uma sabedoria divina na solidão, onde me reencontro vezes sem conta, ainda que nos cruzamentos cultive a arte do desencontro.
Esta forma de amar que me fere as asas e me deixa postada em tudo o que é condição, como se um dia o silêncio falasse e eu te aceitasse mesmo assim, desencontrado de mim.
Mas, talvez se deixares o teu sorriso para mim...


5 comentários:

  1. Olá Rita!
    Passei por aqui e gostei do que li e vi.
    Entretanto, decidi deixar-lhe uma frase dum samba de Vinicius de Moraes: "A vida é a arte do encontro, embora haja tanto desencontro pela vida."
    Vou voltar.

    ResponderEliminar
  2. Espero que sim, que recebas o sorriso que desejas.

    Gosto de falar com a solidão mas também gosto de encontros. :)

    abraço

    ResponderEliminar
  3. Quando o silêncio margina a solidão qualquer desencontro se pode tornar cruel...
    Talvez um sorriso, e tudo se torne simples...
    Gostei do teu texto, Rita.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  4. Boa tarde, a solidão tens os dois lados, é positiva ou negativa conforme a causa, tira-se excelentes conclusões quando se falar com a solidão.
    Votos de Páscoa repleta de alegria! Feliz Páscoa!
    AG

    ResponderEliminar
  5. Que nasçam então sorrisos. Gostei do que li.
    Abraço e brisas doces

    ResponderEliminar