Google+ Followers

sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

Na minha aldeia

Foto de https://www.facebook.com/JCarvalhoPhotography/?fref=ts (Norte da Madeira)


Quando o ocaso descia na aldeia e a montanha se iluminava de mornos raios laranja, chamando os coelhos para fora das tocas, voltavam para casa os filhos da terra. Era o sol dos coelhos à hora das ave-marias cantadas na igreja.

As mulheres nas soleiras das portas, aqueciam seus corpos na hora do penteado das feiticeiras, esperando seus homens que rasgando caminho corriam para seus colos.

Caía o mais severo silêncio enquanto esmoreciam os últimos raios de sol e cada instante era festejado na eternidade do orgasmo.


Quando o frio respondia da montanha e os coelhos recolhiam às tocas, deixavam estes homens as suas mulheres, prenhas de tristeza e saudade e tudo se transformava em tempo até o próximo sol.