Google+ Followers

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Destino





Fotografia de Joana Carvalho


Caminhámos

Pelas sombras impostas de uma vida bifurcada no pó da estrada.

Sombras de um destino escrito nas estrelas

Que a revolta da terra te crucificou

Sem que os signos do universo te conseguissem salvar


Se nem nas mais fervorosas orações inspiradas nas tormentas

Os deuses me ouviram devolvendo-te das sombras,

Se nem no momento eternizado pela fadiga do orgasmo

Saíste das trevas de uma noite sem som


O meu destino se deita no teu

Num existir sem leito,

Embalado no silêncio dos búzios