Google+ Followers

sexta-feira, 21 de março de 2014

Não fosse essa poesia...


 
O remorso fundido na saudade

Vindo de uma morte que de morte viveu

O remorso de ter-te vivido em mim

Sem um adeus que só Deus me alivia

 

Queria eu morrer em cada lugar

E nascer em cada amanhecer

Na terra e no mar

Necessários à dor

 

Ainda que nas tuas cinzas semeie gardénias

Faço-te criação da saudade

 
Enrosco-me na escravidão do remorso


Não fosse essa poesia que me recordas...





17 comentários:

  1. Um belo poema, de quem é capaz de morrer em cada sonho e renascer em cada esperança...
    Beijo.

    ResponderEliminar
  2. belas palavras, bela imagem.

    boa maneira de festejar a poesia.

    abraço Rita

    ResponderEliminar
  3. Óptimo seria "renascer em cada amanhecer"...
    Lindo poema, a assinalar o seu Dia.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. "Preciso do que morre, para regar o que nasce" - Sónia M

    Muito belo!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. " E não fosse essa poesia " o nosso coração sucumbiria de tanta dor..se não fosse essa poesia o desabafo não saíria e a inquietude da nossa alma não aliviaria. Se-não fosse essa poesia , que triste seria o dia; o sol não apareceria e a noite escura mais sombria se tornaria. Mas há a poesia...que canta o que nos vai na alma...que encanta os nossos olhares ... que nos faz " criação de saudade...
    que nos faz querer nascer a cada amanhecer E há a poesia; esta , outra e muitas mais, há mar...há terra...há natureza...há pessoas também e sempre muito amor para dar.
    E aqui houve poesia...nostalgica, triste, ou até mesmo muito.doída; poesia escrita por uma alma, lida e interpretada por outras almas que também sentem...também desabafam...também deixam o grito saír. Linda, como sempre, querida amiga. Fica bem e um carinhoso beijinho
    Emília..

    ResponderEliminar
  6. E sem poesia o mundo seria muito mais cruel!!!
    Adoro poesia e tenho um respeito enorme por quem
    a consegue criar.
    Bj.
    Irene Alves

    ResponderEliminar
  7. A poesia dá para recordar muitas coisas.
    Belo poema.
    Rita, tem uma óptima semana.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  8. Abraço,
    Poema que nos alerta para situações reais, necessitamos de regar a vida com fertilizante.
    Abraço
    ag

    ResponderEliminar
  9. gardénias lembram-me tango,

    necessária à dor e ao amor e ao medo e ao remorso, é a criação poética e então,

    entendemos tudo


    um abraço, Rita

    ResponderEliminar
  10. A saudade feita gardénia, perduração da imagem amada.
    Rita, um dia a gardénia ficará no seu jardim...

    Beijo :)

    ResponderEliminar
  11. O ciclo infinto da morte e nascimento.

    Umas são tão necessárias, umas magoam tanto...

    lindo poema!

    beijos

    ResponderEliminar
  12. "Queria eu morrer em cada lugar
    E nascer em cada amanhecer "

    Perpetuamo.-nos sempre...
    beijinho amigo

    ResponderEliminar
  13. Rita, o teu belo poema dá a impressão de uma saudade de quem viu a vida passar e não viveu, por isso quer renascer sempre. Meu beijo.

    ResponderEliminar
  14. Rita, como já comentei, desejo-te "apenas" um bom resto de domingo e uma boa semana.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  15. Não há remorso que não me escravize, nem saudade que não recorde...
    (nem poesia que não goste)
    'Ofereço-lhe', aqui, três minutos; espero que aprecie:
    http://www.tintapermanente.com/estor.mp4
    abraço.

    ResponderEliminar