Google+ Followers

sábado, 23 de fevereiro de 2013

Procuram-se os anjos




Hora sagrada dos murmúrios do templo
 
Os sinos cantam o profano
 
Na primeira hora da luz do sol
 
Raiando a pátria
 
 
No altar nasce o corpo e o sangue
 
No grito do falcão, a liberdade
 
E desenham-se borboletas no céu
 
 
Vamos onde nos levam os pássaros
 
E procuram-se os anjos
 
Nos ventos que varrem a pátria
 
 

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Eu



Talvez a demora da vida me leve a marcar pegadas que estão por vir

E dou por mim fugindo de mim em busca do todo que me falta

E é urgente as luas acelerarem as marés

E o meu encontro no centro da tempestade, bebendo a última gota de sal

 

Talvez a demora da vida me encontre e denuncie

E eu obedientemente espere por ela

Enquanto me perfumo de terra e mar

 

Porque nenhuma palavra fala de mim

Apenas esse cheiro a mar…

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Quem és





 



Um dia chegaste trajado de Pierrot, trazias no peito a rosa brava,
E no coração o carnaval ao som de um samba melancólico
Chegaste vestido de inocência, caminhando na praça com graça
Com uma lágrima brilhante traçando a estrada no rosto

E falaste-me dos carnavais do mundo,
Aqueles que te deixaram essa eterna lágrima
Que te fizeram vestir essa constante tristeza dentro dos trajes de lentejoulas

 Um dia vi-te partir no sambódromo, em busca de outro carnaval

Aquele que te enxugasse a lágrima

E eu, trajei-me de Columbina.