Google+ Followers

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Basta-me olhar a lua








 

Pudesse eu sentir-te no meu peito recolhido

Nas noites que te bebi até a lua te acolher
Pudesse eu levar-te, nos ciclos das marés
Onde a algas tombam sem a luz da prata e eu te aguardo
Envelhecendo a lua de tanto olhar

Pudesse eu sentir-te, no meu corpo feito teu
Sentir-te no meu sangue, nascendo nas alvoradas
E sufocar-me em ti nesse amar além do tempo

Pudesse eu amar-te, morrendo em ti
Mas basta-me olhar a lua

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Sorriso







Esse sorriso pintado é mais que pigmento em forma líquida
desenhado num quadro, onde a mistura de cores me toca,
insinuando o frio, o calor, a sombra, a luz
numa profundidade sentida muito para além dessa tela

Esse sorriso esculpido a golpes de cinzel, lavrado em pedra
soltado das lascas caídas na terra
É a tua criação, o retrato da liberdade
O sorriso de deus


segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Quero paz






Quero paz, aquela paz que ilumina os homens e os torna o primeiro sol do planeta
Aquela paz que faz de um povo as velas brancas do mundo
Aquela que apaga os ventos da ira
Que poliniza um mundo de sombras voláteis
E executa numa sinfonia a ode à liberdade

Quero essa paz que se veste da brancura dos lírios
E nas gotas cristalinas do orvalho, chora o amor e a liberdade