Google+ Followers

terça-feira, 26 de junho de 2012

Talvez






Talvez se eu caminhar rumo ao arco-íris, que reflete a luz do sol no horizonte da terra, descubra abrigo das lágrimas que chovem nesta terra de fábulas e encontre aconchego no canto das cigarras.

Talvez nesse horizonte encontre a alma da ave azul e desprenda o nó da garganta e até pinte as cicatrizes sangrentas com as cores do arco-íris e quem sabe, agarre o tempo.


segunda-feira, 18 de junho de 2012

CONDIÇÃO HUMANA







Um Deus secreto segreda-lhe a fragilidade
Dessa viagem nesse Outono tépido
Pecados inquietos da alma
Peregrinam
Sob essa luz trémula do sol morno

Viajante através da terra densa
Em busca do tocador de lira
De encontro à montanha que atingia o céu
Onde ao longe ouve o canto das musas

Nómada em busca dos deuses
Que sacralizem a sua existência
Reúne-se nas noites das ninfas
Bebendo o néctar, sorvendo a imortalidade

Nos tempos de denso nevoeiro
Enrosca-se
Na sua condição de humano no resgate à luz

domingo, 10 de junho de 2012

Vivo para te ver caminhar para mim

 




Eu vivo para te ver caminhar para mim
Silhueta púrpura com perfume a mar
E no sorriso inocente a virgem sabedoria
De quem ama por simplesmente amar

Vivo pelas tardes de te ver chegar
Atracar nesse porto trazido pelas marés
Onde me guardo nessa doce maresia
Deixando-me apenas e só ser saudade

Contemplo no horizonte a tua ausência
Sentada nas pedras do porto onde te espero
Até tudo ser apenas mar